terça-feira, 2 de setembro de 2014

A ''lambança'' da Prefeitura de Paulo Afonso com as lombadas eletrônicas instaladas na Avenida Apolônio Sales.

Equipamentos instalados na Apolônio Sales possuem apenas placas como sinalização.

A prefeitura de Paulo Afonso através da Secretaria de Serviços Públicos cometeu recentemente uma lambança ao instalar a supostas lombadas eletrônicas, supostas porque o que se vê na Avenida Apolônio Sales não são consideradas lombadas eletrônicas, e sim um sistema muito utilizado em BRs(radares).

Lombadas eletrônicas são dispositivos usados no trânsito com o propósito de controlar a velocidade do tráfego.

Possui funcionamento igual ao dos radares, ou seja, a medida da velocidade do objeto em questão se dá pela modificação do campo magnético entre os laços do pavimento, que contém os transmissores e receptores da lombada.

Nas lombadas eletrônicas, possuem ainda o elemento visual: um conjunto de luzes que mostra o enquadramento da velocidade nas circunstâncias em energia, e um mostrador que informa ao motorista a sua velocidade depois de atravessar os medidores no asfalto.

Caso o condutor em questão exceder o limite de velocidade vigente na via, o sistema do dispositivo automaticamente registra a imagem do automóvel infrator através de uma máquina fotográfica, também ligada a um microcomputador, que possui uma base de dados conectada a companhia de engenharia de tráfico operante no local.

O sistema secundário remete para o sistema central as comunicações da infração, que avisa o motorista e aplica a penalização prevista em lei. Varia de acordo com o limite excedido de velocidade.

Imagem mostra ausência da torre constando display e lampadas.

Radar ou Lombada eletrônica?

No caso do sistema instalado pela secretaria de serviços públicos, pode-se verificar a ausência do elemento visual (Lâmpadas e Display) conforme imagem acima, ou seja, a instalação feita está totalmente descaracterizada do que é uma lombada eletrônica, fica a questão, se isso foi feito de modo proposital ou por falta de conhecimento das normas, equipamentos e critérios em questão.

Na imagem abaixo você confere verdadeiramente o que é uma lombada eletrônica e seus critérios de funcionamento:

A Prefeitura Municipal de Paulo Afonso publicou em seu site no dia 01/07/2014 através do link http://www.pauloafonso.ba.gov.br/internas/informativos/read.php?id=3994, que as lombadas eletrônicas começaram a funcionar, ou seja, a prefeitura afirma que lombadas foram instaladas e não radares, mas o que se vê desde esse dia são apenas placas e câmeras instaladas que multam constantemente os motoristas por falta da sinalização correta que deve ter pelo menos além das placas e câmeras, lâmpadas e displays mostrando a velocidade permitida, conforme exemplo abaixo:

Sinalização simples usada nas vias que possuem lombadas eletrônicas.

Do jeito que está jamais posso chamar ‘’aquilo’’ de lombadas eletrônicas, até porque pra mim não existem, onde está a torre com o display e as lâmpadas de sinalização? Espera-se que este equivoco seja resolvido o mais breve possível, até porque as multas são passiveis de recursos junto ao órgão responsável.

Até a presente data não fui multado, e se por acaso isso acontecer, não só irei recorrer da multa como também irei tomar as medidas cabíveis na justiça.

É preciso explicar de forma ampla o que é lombada eletrônica e o que é radar para melhor entendermos a confusão que a ação da prefeitura de Paulo Afonso gerou para os motoristas, veja explicação:

Tipos de equipamentos utilizados para fiscalização eletrônica:

Atualmente os principais equipamentos de fiscalização eletrônica de velocidade aplicados no Brasil podem ser dos seguintes tipos:

LOMBADA ELETRÔNICA: equipamento adequado para locais que necessitem de fiscalização permanente para assegurar a circulação de veículos dentro do limite máximo de velocidade regulamentado.

A estrutura ostensiva da Lombada Eletrônica contribui para condicionar os condutores a respeitar a velocidade, sendo especialmente indicada para áreas com restrição de visibilidade e de conflito pedestres x veículos.

RADAR FIXO: equipamento computadorizado, instalado em local definido e em caráter permanente, que registra automaticamente infrações de excesso de velocidade.

RADAR FIXO/SEMAFÓRICO (Fotossensor): equipamento com as mesmas características do radar fixo, que além de registrar automaticamente infrações de excesso de velocidade também registra infrações de avanço semafórico e parada sobre a faixa de pedestre.

O objetivo do fotossensor é estimular o motorista a respeitar o sinal de trânsito e evitar atropelamentos e colisões. Por lei, esse aparelho não precisa ser sinalizado, pois tem caráter educativo, ensinando o condutor a respeitar o semáforo, independente de existir fiscalização eletrônica.

RADAR MÓVEL/ESTÁTICO: equipamento instalado em suporte apropriado, adequado para locais e períodos que necessitem de fiscalização eventual do respeito à velocidade regulamentada.

RADAR PORTÁTIL: equipamento operado manualmente pelo agente de trânsito, com capacidade de monitoramento seletivo, adequado para trechos expressos e vias públicas, em locais e períodos que necessitem de fiscalização eventual do respeito à velocidade regulamentada.

TALÃO ELETRÔNICO DE MULTAS/PALM TOP: dispositivo eletrônico portátil que substitui a tradicional fiscalização realizada com talonários de papel, o que permite mais agilidade e precisão na autuação e emissão da multa.

Redação com informações do Perkons, Cettrans e Wikipédia.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...