terça-feira, 14 de setembro de 2010

Pauloafonsinos vaiam presidente do CECA e Deputado Yulo Oiticica na audiência pública sobre o Toque de Acolher em Paulo Afonso.


Presidente do CECA foi vaiado pelos presentes.

Com mais de 400 pessoas na platéia, a discussão sobre Toque de Acolher provocou polêmica durante a audiência pública realizada na noite de ontem (13) no Memorial da CHESF, na cidade de Paulo Afonso. Várias foram as opiniões declaradas durante o debate, sendo que a maioria foi favorável a implantação da medida na cidade.

"Mais de 95% do público presente se mostrou a favor da medida"

Abrindo discussão para todos os presentes, o presidente do Conselho Estadual da Criança e Adolescente, Edmundo Ribeiro mostrou-se contra o Toque de Acolher. “A portaria do Toque de Acolher remonta o Código de Menores e também é o mesmo que Carrocinha.”, falou Edmundo Ribeiro, salientando que, “espero que o Poder Público de Paulo Afonso pense bastante antes de tomar uma atitude como essa, a de adotar o Toque de Acolher”, afirmou.

Após declaração contrária ao Toque de Acolher, o público presente proferiu uma ostensiva vaia ao presidente do Conselho Estadual da Criança e do Adolescente.

A composição da mesa foi formada pelo palestrante José Brandão Neto, juiz que implantou o Toque de Acolher na cidade de Santo Estevão, o vice-prefeto de Paulo Afonso Jugurta Nepomuceno, a presidente da Associação dos Magistrados da Bahia (AMAB), Nartir Dantas, o juiz da Vara da Infância e Juventude de Paulo Afonso, Marley Cunha, o promotor de Justiça Hugo Cassiano, o Tenente Coronel Antônio Rosário – CMT do 20º BPM, do Major Bertoluzzi – CMT da 1ª CIA de Infantaria, a presidente da OAB-Paulo Afonso Isabel Cristina, a professora da FASETE Gerusa e o pastor Jânio Cardoso, presidente do Instituto Esperança. Na platéia, os delegados de polícia Idelbrando Alves e Mirela Santana (Delegacia da Mulher), o educador Gilberto Gomes (Sete de Setembro), vereadores Aroldo do Hospital, Gilson Fernandes, Marquinhos do Hospital, Celso Brito e Ozildo Alves (que foi o mestre de Cerimônia), padres, pastores, entre outras autoridades e lideranças, além da presença da população que foi intensa.

O juiz da vara da infância e da juventude da comarca de Paulo Afonso, Marley Cunha revelou que não tinha uma opinião formada em relação a medida, porém, após a audiência disse que ficou inclinado a favor do Toque de Acolher, “Eu saio hoje daqui inclinado em favor da medida, porém, sozinho não vou conseguir resolver todos os problemas de Paulo Afonso, a partir de agora, vamos nos reunir e tenho certeza que vou ter o apoio da polícia militar e da prefeitura para conseguirmos colocar esse projeto em prática”.

Também declarando apoio à medida protetiva, a presidente da Ordem dos Advogados da Bahia na cidade de Paulo Afonso, Isabel Cristina, afirmou ser favorável a medida. “A OAB abraça a causa e está aí para o que for necessário”, confirmou.

Redação com informações da Assessoria da Vara da Infância e Juventude da Comarca de Santo Estevão e Clécia Rocha.


1 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...